Seminário vai debater políticas públicas de atenção ao diabetes – Notícias

[ad_1]

21/09/2023 – 06:18  

Depositphotos

Mais de 16 milhões de pessoas têm diabetes no Brasil

A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara dos Deputados
vai promover um seminário nesta quinta-feira (21) para discutir as políticas públicas de atenção a complicações do Diabetes.

Confira a pauta e os convidados do seminário.

O evento será realizado entre 9 e 17 horas no Auditório Freitas Nobres.

O evento, denominado Fórum Intercâmbio de Conhecimento em Complicações do Diabetes, abrigará debate sobre os seguintes temas:

  • Desafios do diagnóstico e do tratamento das complicações do diabetes, entre elas retinopatia diabética;
  • nefropatia;
  • infecções devido a não adesão da população à vacinação;
  • doenças cardiovasculares;
  • distúrbios alimentares;
  • depressão; e
  • doenças sexuais.

O autor do requerimento para a realização do seminário é o deputado Dr. Zacharias Calil (União-GO). Na sua justificativa, ele cita estimativa da Federação Internacional de Diabetes de que mais de 16 milhões de adultos sejam afetados pela doença no Brasil, sendo que a metade de pessoas não sabe que tem o diagnóstico de diabetes.

Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

Dr. Zacharias Calil é o autor do requerimento para a realização do seminário

“O gasto com saúde relacionado ao diabetes no Brasil atingiu 42,9 bilhões de
dólares em 2021, o terceiro maior do mundo. Quase 18 milhões de adultos no país apresentam alto risco de desenvolver diabetes tipo 2, segundo Ministério da Saúde”, acrescentou Calil.

“A junção do diagnóstico precoce e a falta de adesão ao tratamento trazem um
resultado alarmante. Segundo uma pesquisa do Ministério da Saúde realizada entre janeiro e setembro do ano de 2021, foram realizadas 12.639 cirurgias para
amputações de membros inferiores, sendo uma média de 46 procedimentos por dia decorrentes do diabetes, dentre outras comorbidades que são consequências do mau controle glicêmico que podemos citar como problemas cardíacos, renais,
oftalmológicos, e outros”, concluiu.

 

Da Redação – RB

[ad_2]

Com informações Agência Câmara

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Leia também

Fale com a redação