Marcos Rogério defende embate político-ideológico em instâncias apropriadas — Senado Notícias

[ad_1]

O senador Marcos Rogério (PL-RO), em pronunciamento no Plenário nesta quarta-feira (23), destacou a importância de que o embate político-ideológico deva ocorrer no ambiente dos partidos políticos, das Casas Legislativas e dos palácios dos Executivos. Ele manifestou preocupação quando a disputa envolve “investidas de fora da arena política, de estruturas de poder que interferem nas disputas”.

O senador observou que cada corrente política tem uma visão e a convicção de que a sua é a ideal e, com isso, todos se esforçam para tentar impor o seu pensamento. Para ele, isso faz parte da democracia e da diversidade de pensamento.

— A luta desigual é quando um espectro ideológico tem a seu favor o emprego de forças e armas que não deveriam ser usadas no ambiente político. Aí, eu indago, não é exatamente isso que nós estamos a observar no Brasil nos dias de hoje? Não é um embate de ideias no campo próprio, porque no ambiente da política, no ambiente do Senado Federal, da Câmara Federal, no ambiente do Palácio do Governo, desses e daqueles, é natural que haja esse embate. Mas temos que nos preocupar, sim, quando vemos instituições se movimentando na direção do embate político-ideológico e quando este aparato de força, de poder, se volta contra expoentes de um ou de outro pensamento— questionou.

Marcos Rogério ressaltou também os inquéritos envolvendo o ex-presidente Jair Bolsonaro e pessoas de seu círculo, questionando se esses procedimentos jurídicos são meramente ordinários ou fazem parte da luta contra o “bolsonarismo”. Ele alertou para o que entende ser um movimento que busca “limitar os direitos e silenciar as vozes dos cidadãos numa sociedade democrática”. O senador enfatizou a importância de preservar a democracia e garantir o pleno exercício dos direitos dos cidadãos.

— Não se pode ter embates e discussões que estejam fora do campo próprio do debate ideológico. Esse é o campo próprio. Agora, quem está em instância que deve julgar o que os outros fazem não pode entrar na arena do debate político-ideológico— criticou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

[ad_2]

Com Agência Senado

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Leia também

Fale com a redação