Celso Sabino apresenta ações do Turismo para os próximos dois anos — Senado Notícias

[ad_1]

O ministro do Turismo, Celso Sabino, comparece ao Senado nesta terça-feira (22) para apresentar as ações da pasta para os próximos dois anos. O ministro participará de audiência pública interativa na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR), com início às 9h30.

 A vinda do ministro atende à disposição regimental, que prevê o seu comparecimento à CDR para expor assunto de relevância do seu ministério, conforme dispõe o artigo 397 do Regimento Interno do Senado.

O deputado federal Celso Sabino (União-PA) tomou posse no Ministério do Turismo em 3 de agosto, em substituição à deputada federal Daniela do Waguinho (União-RJ). Em cerimônia no Palácio do Planalto, Sabino disse que assumia o cargo com a missão de fazer do turismo uma ferramenta de desenvolvimento sustentável, que ajude a alavancar a economia e a melhorar a qualidade de vida do povo. A meta, segundo ele, é atingir a casa dos dois dígitos na contribuição do setor para o Produto Interno Bruto (PIB), hoje em 7,8%, e atrair mais turistas estrangeiros ao país.

A reunião da CDR será transmitida ao vivo e aberta à participação dos interessados por meio do portal e-cidadania, na internet, em senado.leg.br/ecidadania ou pelo telefone da ouvidoria 0800 061 22 11.

A audiência pública será realizada na sala 7 da ala Alexandre Costa.

Com informações da Agência Brasil

Como participar

O evento será interativo: os cidadãos podem enviar perguntas e comentários pelo telefone da Ouvidoria do Senado (0800 061 2211) ou pelo Portal e‑Cidadania, que podem ser lidos e respondidos pelos senadores e debatedores ao vivo. O Senado oferece uma declaração de participação, que pode ser usada como hora de atividade complementar em curso universitário, por exemplo. O Portal e‑Cidadania também recebe a opinião dos cidadãos sobre os projetos em tramitação no Senado, além de sugestões para novas leis.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

[ad_2]

Com Agência Senado

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Leia também

Fale com a redação